Sobre

Com a publicação da Lei Complementar nº 16.795/2015, em 16 de dezembro daquele ano, as então Secretarias de Desenvolvimento Regional passaram a atuar sob o formato de agências, visando à melhoria das atividades e serviços prestados por tais órgãos, tanto em sua relação com o público, quanto na perspectiva intragovernamental.

De modo complementar, além do processo de reestruturação das Agências de Desenvolvimento Regional - ADRs, algumas ações das regionais foram reconfiguradas como, por exemplo, as atuações dos Colegiados Regionais de Governo e dos Conselhos de Desenvolvimento Regional.

Pretende-se, com isso, fornecer os subsídios para que as ADRs possam desempenhar seu papel, que é “induzir e motivar o engajamento, a integração e a participação da sociedade organizada para, de forma planejada, implementar e executar políticas públicas e viabilizar instrumentos de desenvolvimento econômico sustentável para a geração de novas oportunidades de trabalho e renda, promovendo a equidade entre pessoas e entre regiões”.

Legislação

- Lei 16.795/2015
Transformação das Secretarias de Estado de Desenvolvimento Regional em Agências de Desenvolvimento Regional

- Decreto 643/2016  
Estrutura Organizacional das ADRs

- Decreto 856/2016 
Regimento Interno das ADRs

Agências de Desenvolvimento Regional

- ADR de Araranguá
- ADR de Blumenau 
- ADR de Braço do Norte
- ADR de Brusque
- ADR de Caçador
- ADR de Campos Novos
- ADR de Canoinhas
- ADR de Chapecó
- ADR de Concórdia
- ADR de Criciúma
- ADR de Curitibanos
- ADR de Dionísio Cerqueira
ADR de Ibirama
- ADR de Itajaí
- ADR de Itapiranga
- ADR de Ituporanga
- ADR de Jaraguá do Sul
- ADR de Joaçaba
- ADR de Joinville
- ADR de Lages
- ADR de Laguna
- ADR de Mafra
- ADR de Maravilha
- ADR de Palmitos
- ADR de Quilombo
- ADR de Rio do Sul
- ADR de São Joaquim
- ADR de São Lourenço do Oeste
- ADR de São Miguel do Oeste
- ADR de Seara
- ADR de Taió
- ADR de Timbó
- ADR de Tubarão
- ADR de Videira
- ADR de Xanxerê

End FAQ